WELCOME

Este Blog é uma oportunidade de trocar experiências com aquelas que já passaram, estão passando ou ainda passarão por pequenas grandes alegrias, surpresas e aventuras do dia a dia de ser mãe, mamãe, mamãezinha. Sejam todas muito bem vindas!

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Exercícios para Fazer com Seu Bebê (2 a 5 meses)

Arrastar



Benefícios: é um exercício imprescindível para o desenvolvimento normal do cérebro, pois faz com que os dois hemisférios trabalhem juntos. Também é essencial para promover uma boa coordenação motora no futuro e boa concentração.
Ponha seu bebê de bruços numa superfície limpa (pode ser cama ou um colchonete);
Disponha alguns brinquedinhos a uma certa distância do bebê;
Incentive-o a se arrastar até os brinquedinhos.
Faça os exercícios diariamente, dando o máximo de oportunidade para seu filho se arrastar.



Tá Difícil?
Tenha em mente que se seu filho está caminhando para os 4 meses, ele já pode estar pesado demais para conseguir se arrastar. Isso é muito comum com bebês que não tiveram a oportunidade de ficar na posição de bruços quando bem novinhos.



E se Meu Filho não Conseguir Arrastar, Pode ter Problemas no Futuro?
Sim. Após haver estudado o desenvolvimento de crianças normais e de crianças com problemas, pesquisadores dos Institutos da Filadélfia chegaram a conclusão de que pular etapas do desenvolvimento motor, pode acarretar a falta de determinadas habilidades à criança. Podem surgir conseqüências adversas, como problemas de coordenação motora, problemas de concentração, hiperatividade, dificuldades na dominância hemisférica (por exemplo, o indivíduo não consegue ser totalmente destro, ou totalmente canhoto) e dificuldades de aprendizado, principalmente em leitura e escrita.Calma, não se desespere!!!



Testemunho de uma Mãe
Se seu filho não arrastou ainda há esperança. Não se assuste. Minha filha mais nova também não conseguiu arrastar quando bebê, pois quando eu a coloquei de bruços pela primeira vez, ela já estava com quatro meses e meio e super pesada. Então o que eu fiz? Coloquei-a para arrastar com um ano e meio. Mas é claro que tive que arrastar junto com ela e usei colchonetes enormes! Como ela não estava muito interessada, voltei a incentivá-la aos dois anos, e foi um sucesso!
Até minha outra filha, de quatro anos, também entrou na dança:Então tenha em mente que se você puser seu filho para se arrastar com 2,3 ou 4 anos, ele certamente irá formar as conexões cerebrais que não havia feito quando bebê.


Meu Testemunho

Aqui, Lucca estava com 4 meses



Lucca está agora com 5 meses e meio e já está rolando na cama e levantando a cabeça, apoiando-se nos braços. Mas nunca gostou - e não gosta até hoje! - de ficar de bruços. Tenho estimulado o pequeno a buscar brinquedinhos para que ele se arraste pela cama. Ele até vai, mas fica bravo porque quer pegar aquilo que coloquei a sua frente e não consegue. Mas é assim, aos pouquinhos, ele chega lá!!!



OBS: tudo o que foi dito aqui sobre arrastar, também se aplica ao ato de engatinhar. Portanto, ambas são etapas importantíssimas do desenvolvimento neurológico dos bebês.



Postado por Ana Júlia, em seu Blog http://ensineseubebe.blogspot.com/

terça-feira, 30 de agosto de 2011

CAIXINHA DE CHÁ DE BEBÊ











Estas caixinhas de madeira e scrap foram feitas para o Chá de Bebê do Dante, sobrinho da Carla, minha médica, amiga e sogra da Lívia!

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

DOUTORAS...


Recebi este texto da Lilian, minha amiga e também professora que, assim como eu, resolveu largar tudo, exonerar um cargo importante e enfiar um mestrado na gaveta para cuidar dos dois filhos pequenos.


Em uma época em que eu estava à beira de um colapso neurótico por não estar na loucura diária da sala de aula, Lilian me ajudou muito - acredito que ela nem saiba o quanto! - dizendo mais ou menos isso,


"eu me perdoaria se chegasse no fim da vida e visse que não fui uma boa profissional, mas eu jamais me perdoaria se não tivesse sido uma boa mãe!".

Concordo com ela!



Entre muitas conversas que tivemos - e temos até hoje!, ela me enviou esta mensagem, que vou compartilhar com vocês porque me valeu muito:



“Não se preocupe por não poder dar aos seus filhos o melhor de tudo... Dê a eles o seu melhor.” ( Autor desconhecido )



Certo dia, uma mulher chamada Anne foi renovar a sua carteira de motorista. Quando lhe perguntaram qual era a sua profissão, ela hesitou. Não sabia bem como se classificar. O funcionário insistiu: "o que eu pergunto é se tem um trabalho." "Claro que tenho um trabalho", exclamou Anne. "Sou mãe." "Nós não consideramos isso um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.


Uma amiga sua, chamada Marta soube do ocorrido e ficou pensando a respeito por algum tempo. Num determinado dia, ela se encontrou numa situação idêntica. A pessoa que a atendeu era uma funcionária de carreira, segura, eficiente. O formulário parecia enorme, interminável. A primeira pergunta foi: "qual é a sua ocupação?" Marta pensou um pouco e sem saber bem como, respondeu:

"Sou doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas." A funcionária fez uma pausa e Marta precisou repetir pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas. Depois de ter anotado tudo, a jovem ousou indagar; "Posso perguntar, o que é que a senhora faz exatamente?" Sem qualquer traço de agitação na voz, com muita calma, Marta explicou: "Desenvolvo um programa à longo prazo, dentro e fora de casa."

Pensando na sua família, ela continuou: "sou responsável por uma equipe e já recebi quatro projetos. Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é de 14 horas por dia, às vezes até 24 horas." À medida que ia descrevendo suas responsabilidades, Marta notou o crescente tom de respeito na voz da funcionária, que preencheu todo o formulário com os dados fornecidos. Quando voltou para casa, Marta foi recebida por sua equipe: uma menina com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.

"Mãe, onde está meu sapato? Mãe, me ajuda a fazer a lição? Mãe, o bebê não pára de chorar. Mãe, você me busca na escola? Mãe, você vai assistir a minha dança? Mãe, você compra? Mãe..." Subindo ao andar de cima da casa, ela pôde ouvir o seu mais novo projeto, um bebê de seis meses, testando uma nova tonalidade de voz. Feliz, Marta tomou o bebê nos braços e pensou na glória da maternidade, com suas multiplicadas responsabilidades. E horas intermináveis de dedicação...

Sentada na cama, Marta pensou: "se ela era doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas, o que seriam as avós?" E logo descobriu um título para elas: doutoras-sênior em desenvolvimento infantil e em relações humanas. As bisavós, doutoras executivas sênior. As tias, doutoras-assistentes. E todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras: doutoras na arte de fazer a vida melhor.

Num mundo em que se dá tanta importância aos títulos, em que se exige sempre maior especialização, na área profissional, torne-se um(a) especialista na arte de amar.



É isso!

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

ÁLBUM SCRAPBOOKING "A BELA E A FERA"



















Encomenda entregue semana passada. Este álbum foi um presente de aniversário para Letícia, que teve como tema da festa "A Bela e a Fera".

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

TÁ NA HORA DE LARGAR A CHUPETA!

Lívia já está com 2 anos e meio e já parece uma mocinha em muitos aspectos: faz xixi e cocô no banheiro há tempos, come sozinha (tudo bem que demora muuuuuito!), já sabe tirar a roupa na hora do banho... mas ainda leva sua chupeta - mais conhecida como pepê - para todo lado e, sempre que não tem nada mais atraente para fazer, lá está ela com a chupeta na boca.

Já está na hora da mamãe pensar em estratégias para tirar de cena essa "pacifier", que como o próprio nome em inglês diz, acalma (e muito!!!) o bebê e deixa a mamãe respirar nos primeiros anos de vida da criança.

Os especialistas dizem que, principalmente depois dos 3 anos, a chupeta não deveria mais fazer parte da vida das crianças. Quando levei a pequena Lívia de 2 meses para fazer o teste da orelhinha na fonoaudióloga, questionei a respeito da chupeta e ela me disse que tudo bem usa-la até os 2 anos. A pediatra disse que até os 3 ainda é tolerável. Então, já está na hora de começarmos a pensar nisso!!!




Eu sei que, quando se pretende mudar qualquer hábito na rotina da criança, é preciso ser firme e determinado. Neste caso, saber que estou fazendo a coisa certa para ela e que ela vai suportar a perda da chupeta precisa prevalecer.

Nesse sentido, a pediatra sugeriu que fizéssemos uma caixinha juntas para que a Lívia guardasse sua chupeta entro durante o dia. E assim fizemos. Lívia estava toda empolgada: ajudou a pintar a caixa de pink, colou adesivos... mas quando chegou a hora de guardar a chupeta, nada... começou a chorar e não quis abandonar sua pepezinha. Mamãe? cedeu às suas vontades... Esse foi meu erro. Deveria ter insistido.

Minha prima disse que contou a historinha da fada da chupeta para sua filha Thaís, de 3 anos, e deu certo. Já tentei essa técnica com a Lívia. Ela presta atenção na história, interage, faz perguntas. A mamãe se empolga. Mas quando chega a hora de entregar a chupeta... nada.

Procurei na word wide web algumas dicas para me ajudar e vou começar a testa-las. Compartilho com vocês algumas. Se alguém ouber uma outra estratégia infalível, por favor, me diga!


1. TENTE AOS POUCOS - Reduza o tempo que ele fica com o acessório, espaçando os intervalos. É uma forma de ele começar a se desacostumar.


2. FORA PRENDEDOR - Se costuma usar a chupeta presa na roupa, tire o prendedor já!


3. FAÇA UMA TROCA - No caso de bebês, substitua a chupeta por algo de que ele goste ou pelo qual se interesse e que possa ser colocado na boca.


4. GOSTO RUIM - Deixe a chupeta estragar. Segundo os médicos, a criança vai perdendo o interesse porque o “gosto bom” acaba.


5. MARQUE O DIA Combine um dia oficial para tirar a chupeta de vez. E não volte atrás. Senão ele vai entender que, sempre que quiser, você vai devolvê-la.

Fonte: Carlos Alberto Landi, pediatra do Hospital Samaritano, SP para

http://www.revistacrescer.com.br/
6. SUBSTITUA - Fique de olho e, quando ele for querer a chupeta, providencie algo para substituí-la. Se ele pega a chupeta quando está entediado, ofereça alguma atividade mais interessante, como um livro para folhear, ou faça caretas engraçadas para distraí-lo. Já se a criança tende a colocar a chupeta na boca quando está preocupada ou se sentindo insegura, ajude-a a explicar o que ela está sentindo. Faça perguntas para descobrir o que está acontecendo e conforte-a de outro jeito -- com beijos e abraços, por exemplo.


7. REFORÇO POSITIVO - Para encorajar seu filho, elogie quando ele conseguir ficar sem a chupeta. Experimente usar um calendário para anotar os dias que seu filho ficou sem a chupeta. Para cada dia sem, marque com um adesivo colorido, como uma estrelinha dourada. E quando ele completar uma semana sem chupeta, dê um prêmio, como um passeio especial ou uma brincadeira a dois.


8- Reforce a idéia de que crianças mais velhas não usam chupeta -- elas adoram se sentir mais crescidas.


9- A CHUPETA QUEBROU - Faça um furinho na chupeta, prejudicando a sucção, e diga ao filho que a chupeta "quebrou".

10- A chupeta pode ser "moeda" de troca, mas troca definitiva. Por exemplo: caso a criança dê a mesma para o Papai do Céu, Papai Noel, Coelhinho da Páscoa ou mesmo resolva jogá-la no lixo, você pode lhe dar um brinquedo que ela quer muito, mas não vale voltar atrás depois;



É isso! Vou tentar!


Mais dicas e assuntos na net:




CONVITES ANIVERSÁRIO - MENINO



















CONVITES DE ANIVERSÁRIO - MENINA



domingo, 14 de agosto de 2011

CHAZINHO BOM PARA A MAMÃE

Um chazinho para relaxar e aliviar a dor que a futura mamãe está sentindo é sempre bem vindo, não? Mas, segundo especialistas, o uso abusivo de chás, que por sua vez contém substâncias, tais como a cafeína, pode provocar efeitos negativos tanto na mãe, quanto no bebê.


De acordo com nutricionistas, a gestante deve optar pelos chás claros, mas não deve tomá-los todos os dias, sendo que a melhor opção de chá para a gestante é o de erva doce e erva cidreira porque tem efeito calmante.

Chás que podem ser utilizados na gravidez:
Chá de erva doce;
Chá de erva cidreira;
Chá de alfazema;
Chá de camomila, que é ótimo para o controle da ansiedade e de enjoos e dores estomacais.

Chás que não devem ser utilizados na gravidez:
Chá mate;
Chá de cravo-da-índia;
Chá de canela;
Chá preto;
Chá branco;
Chá verde.
Esses chás possuem alto teor de cafeína e podem acelerar o metabolismo da gestante e provocar contração dos músculos do útero.

Fonte:
http://www.bancodesaude.com.br/
http://www.bebe.com.br/


ATENÇÃO: ALIMENTOS QUE PODEM FAZER MAL AO BEBÊ



Quando introduzimos os sucos, as frutinhas e as papinhas salgadas aos bebês - por volta de 5 ou 6 meses - ouvimos muitas histórias e comentários (principalmente dos avós) a respeito de quais alimentos oferecer ou não à criança.


Alguns alimentos merecem atenção,



LEITE DE VACA (só depois de 1 ano);

MEL (depois de 1 ano);

OVO (gema - depois dos 6 meses; clara - depois de 15 meses);

PEIXE (depois dos 6 meses);

FRUTOS DO MAR (depois de 1 ano);

AMENDOIM E CASTANHAS (depois de 1 ano e meio);

MORANGO (depois de 2 anos).



Em sua maioria, esses alimentos podem não ser bem tolerados pelas crianças e desencadear reaçoes alérgicas. No caso dos morangos, o excesso de agrotóxicos é o motivo de tamanha espera!




ÁLBUM SCRAPBOOKING MENINA















sexta-feira, 12 de agosto de 2011

FELIZ DIA DOS PAIS, PAPAIS, PAPAIZINHOS!


Que bom saber que temos sempre uma mão estendida por nós!

Que bom saber que você sempre estará presente quando precisarmos de um colo, de um olhar de conforto, de um aperto...

Que bom saber que temos alguém a quem confiar nossos sonhos.

Que bom saber que tem alguém que sempre sonhará nossos sonhos - talvez mais que nós mesmos!

Que bom saber que alguém está em algum outro lugar pensando em nós, lutando por nós e querendo estar onde nós estamos.

Que bom saber que podemos contar com você, PAI, PAPAI, PAPAIZINHO!!!


FELIZ DIA DOS PAIS AO MEU PAI, AO PAI DOS MEUS PEQUENOS, AO PAI DO PAI DOS MEUS PEQUENOS E A TODOS OS OUTROS PAIS QUE CUMPREM ESTA TAREFA NÃO MENOS DIFÍCIL E NOBRE QUE A DE SER MÃE!


Ariane Antonini


terça-feira, 9 de agosto de 2011

DICAS DE ALIMENTAÇÃO DO BEBÊ

Aqui vão algumas dicas para as mamães que estão começando na tarefa de preparar e oferecer comidinha aos pequenos. Podem parecer banais, mas sempre tentei segui-las, e tem dado certo com a Lívia - quem a conhece sabe que ela é uma comilona de mão cheia!!!



Não desanime - Se o bebê cuspir a papinha oferecida nas primeiras tentativas, não desanime, é um reflexo comum dele e não significa que ele não vá gostar de comer.

O cadeirão - Procure colocar o cadeirão sempre no mesmo lugar da casa, de preferência onde o papai e a mamãe comem também. Aqui em casa, a Lívia almoça conosco sentada em seu cadeirão à mesa e o Lucca já nos acompanha em seu carrinho, do ladinho da irmã!

TV - Evite alimentar seu filho perto da tv. Ele tem que acostumar com os alimentos e não com o fato de ser alimentado. É importante que ele interaja com a papinha e não desvie a atenção. (Mas devo confessar que, as vezes, um bom desenho ajuda muito)

Frutas - Depois que o bebê já conhecer vários tipos de frutas, tanto em sucos quanto em papas doces, você já pode mistura-las.

Sucos - Faça com que o bebê experimente diversos tipos de sucos. Peneire bem a fruta e a ofereça sozinha, para que ele reconheça o sabor de cada uma.

Não adoce a fruta - Não adoce a fruta, pois ela contém frutose que é seu açúcar natural.


Não adoce o leite - A Lívia até hoje mama seu "teté" sem nenhum tipo de açucar ou achocolatado. Ela sempre foi acostumada a beber o leite puro e, como não conhece o chocolate em pó, aceita o leite sem problema!


Sucos - Ofereça suquinhos em temperatura ambiente.

Sucos - Não dê dois sucos diferentes no mesmo dia. Insista em uma fruta por 2 dias para observar quais as reações ela causa no bebê (intestino solto ou preso e erupções na pele).

Ofereça de tudo - Não deixe seus gostos particulares influenciarem a alimentação do seu filho. Ofereça de tudo, pois ele pode preferir alimentos azedos, amargos e isso pode ajudar a escolha da papinha predileta dele.

Papinha Salgada - Embora seja uma papinha salgada, o palador do bebê que está começando a comer outro tipo de alimento além do leite ainda é pouco desenvolvido, então, a quantidade de sal usada na papinha deve ser mínima. Ela deve estar praticamente sem sal ao nosso gosto.


Amassar e Peneirar - Os pediatras dos meus pequenos sempre me aconselharam a amassar e depois peneirar a comidinha deles, nunca bater no liquidificador ou mixer porque "quebra" a fibra dos alimentos. Braços para que te quero!!!!!


Diga sempre o nome de cada alimento para a criança para que ela aprenda o que está comendo e vá diferenciando um sabor/ alimento de outro. Com a Lívia, nós sempre dizemos, hoje nós vamos comer arroz, feijão, salada de rúcula, ...


A maioria dessas dicas foram tiradas do site http://www.mariapapinha.com.br/ - vale a pena visitá-lo!

PAPINHA CASEIRA X PAPINHA INDUSTRIALIZADA

Existe diferença entre papinha feita em casa e aqueles potinhos prontos do supermercado?
Por Paulo Sérgio de Barros Ferreira, escrito para o BabyCenter Brasil

A sopinha caseira geralmente oferece uma maior variedade de combinações, sabores e texturas, podendo também ser feita na medida para as necessidades nutricionais de cada criança. Outro fator a ser levado em conta é o uso de ingredientes frescos, inclusive orgânicos, e a possibilidade de se preparar em maior quantidade, para depois separar em porções pequenas e congelar, o que pesa bem menos no bolso. A papinha de fruta caseira tem a vantagem de utilizar a fruta fresca, que, de modo geral, é mais saborosa e possibilita um melhor aproveitamento dos elementos nutricionais, como no caso das vitaminas. Outro benefício é se valer da diversidade de frutas disponíveis nos mercados e feiras de todas as regiões do Brasil para criar misturas bem ricas. Tudo isso sem contar a arte e o prazer de uma mãe, pai ou avós prepararem a comida de seu próprio filho ou neto, mesmo que não fossem lá muito amigos da cozinha antes.

Quanto às sopinhas e papinhas industrializadas, feitas por empresas alimentícias de renome, elas são práticas, de boa qualidade, elaboradas com rigor nutricional e, em geral, livres de conservantes. Os senões são a menor variedade de sabores e o preço mais alto.

A maioria dos pediatras recomenda que no dia-a-dia sejam utilizadas as sopinhas e papinhas caseiras e em situações mais esporádicas (como em casos de viagem ou passeios de dia todo), as industrializadas.

É exatamente isso que fazia com a Lívia quando ela estava na fase da papinha - no dia a dia, em casa ou na casa das avós, ela comia sopinha caseira, preparada pela mamãe ou pela vovó. Quando saíamos para passear ou almoçar em restaurantes, sempre levava um potinho de comidinha industrializada pela praticidade e certeza que não irá azedar... E ela adorava ambas!!!

Hoje em dia, a Lívia nos acompanha no cardápio de gente grande - e começa tudo de novo com o pequeno Lucca.

PAPINHAS: TEM BEBÊ COMEÇANDO A COMER COMIDINHA!!!

Lucca vai completar 5 meses esta semana e, como já está virando mocinho, vai começar a almoçar comidinha salgada!



Ele ainda mama, mas, como já havia dito antes, está cada dia menos interessado "no peitão" da mamãe. Estou tomando duas fórmulas homeopáticas para que o meu leite aumente e, consequentemente, para que meu baby "brigue" menos na hora de mamar, mas sei que é preciso ter bom senso e fornecer aquilo que ele precisa em termos de nutrientes agora.


Então, em primeiro lugar, sempre ofereço o leite materno e, se houver algum probleminha no meio do caminho, complemento com o leite industrializado - sem neura...


Quanto às outras comidinhas, desde o mês passado, Lucca está comendo papas e sucos de frutinhas.


Como seu intestino é meio preguiçosinho, temos que selecionar bem quais frutinhas usar.


Então, com 5 meses, ele só pode comer laranja lima, mamão, pera e ameixa preta.


Com 6 meses, poderemos acrescentar outras frutinhas, mas, no nosso caso, sempre com cautela em relação à maça e à banana.




A pediatra passou uma rotina de alimentação para ele e acho legal dividir com vocês, porque eu sempre fico meio perdida com horários e o que oferecer ao bebê ao longo do dia.




É claro que cada criança tem sua própria rotina e necessidade e os pediatras têm opiniões diferentes quanto à alimentação dos bebês nos primeiros meses.


Mesmo assim, acredito que esta rotina pode ajudar algumas mamães:


8:00h - leite;

10:00h - fruta;

11:30h - almoço e sobremesa (fruta)

14:00h - leite;

16:30h - fruta;

18:00h - jantar;

21:00h - leite.



Mas, atenção: Com 5 meses, devemos optar pelo almoço ou jantar. Se oferecermos a papinha salgada no almoço, então, damos leite na hora do jantar e vice-versa. Com 6 meses, segundo a pediatra, já podemos combinar as duas refeições salgadas.

Outra dica: Nunca dar leite após a comidinha salgada e sim, uma frutinha ácida (laranja, mamão, caqui)


É isso! Em um próximo post, vou dividir com vocês algumas receitinhas de comidinhas gostosas e saudáveis!

domingo, 7 de agosto de 2011

MÃE POLVO




Sempre temos dias em que queremos ou precisamos fazer tudo ao mesmo tempo!


Ainda bem que as mães têm muuuuuuuuuuuuuuuitas mãos!


Ainda bem que as vezes conseguimos uma ajudinha do PAPAI!

sábado, 6 de agosto de 2011

ENXOVAL PARA BEBÊ E MAMÃE

Bom dia,


Andei navegando pela net agora de manhã enquanto o Lucca dormia e a Lívia fazia inalação lá no quarto sozinha, igual a uma mocinha!, e achei este blog muito legal. Vale a pena conferir, mamães: http://mamaevaiascompras.blogspot.com

Estava vendo os posts e acho que isso pode ser útil, especialmente para a Tia Thaty, que está prestes a "ganhar" o Enzo, meu sobrinho-afilhado. Dá uma passadinha por lá e veja se já colocou tudo na mala, Tia Thaty.


Por Laura Florence

Você já deve ter ganhado uma lista nas lojas de enxoval. Mas cuidado, elas tendem a ser exageradas. Por uma questão obvia: as lojas querem vender.
A lista abaixo está na próxima edição do meu livro “Bagagem para Mães de Primeira Viagem” tem tudo que você vai precisar. Nem mais, nem menos. É claro que cada um é cada um. Você pode precisar de mais coisas para se sentir mais segura. Outras, acham um exagero muita coisa. A minha cunhada por exemplo, vive sem baba eletrônica, eu não consegui viver. Faça os ajustes necessários baseados na sua vida e na sua personalidade e boas compras. Bj
Extras para levar na maternidade
· Lembrancinhas
· Livro do bebê (opcional)
· Mala da mamãe e do bebê
· Enfeite para a porta
Para a mamãe levar na maternidade
· Pijamas ou agasalhos com abertura frontal
· Chinelo
· Sutiãs de amamentação
· Calcinhas pós-parto (opcional)
· Cintas ou bermudas compressoras(opcional)
· Protetores de seio
· Creme para rachadura nos seios (opcional)
· Produtos de higiene e beleza
Para o quarto do bebê
Móveis essenciais
· 1 berço + colchão
· 1 cômoda (ou planejar um lugar para trocar o bebê)
Caso tenha mais espaço
· 1 guarda-roupa (caso não tenha)
· 1 poltrona de amamentação
· 1 mesa auxiliar / criado-mudo
· 1 cama de solteiro
Complementos
· Cabideiro
· Prateleiras
· Guarda-brinquedos
· Cortina/persiana
· Tapete
· Aparelho de som (opcional)
· Abajur
· Ventilador
· Lustre
· Lixeira
· Cabides
· Quadrinhos e porta-retratos
· Enfeites, bichinhos
· Móbile
Roupinhas
Para a maternidade e os primeiros dias

· 6 macacões ou conjuntinhos rn
· 6 bodies, camisinhas ou pagões rn
· 6 mijões rn
· 6 pares de meia rn
· 2 casaquinhos rn
· 2 mantas que combinam com as roupas
Para os primeiros meses
· 6 macacões ou conjuntinhos p
· 6 macacões ou conjuntinhos m
· 6 bodies ou camisetas p
· 6 bodies ou camsetas m
· 6 mijões p
· 6 mijões m
· 6 pares de meia do número 13 ao 18
· 2 casaquinhos p
· 2 casaquinhos m
No inverno
· 2 gorrinhos
· 2 pares de luvinhas
No verão
· 2 bonés ou chapeuzinhos
· 2 conjuntos ou macacões sem manga para tomar sol p e m
Roupa de cama e banho
Kit berço
· Protetores laterais
· Cabeceira
· Pezeira
· Edredon
· Trocador para cômoda
· Saia para berço
Outros
· 1 almofada para ajudar na amamentação
· 2 protetores de colchão
· 3 travesseiros anti-sufocantes – 2 para berço e 1 para carrinho
· 4 cueiros, manta de malha ou lençol para cobrir o trocador
· 4 jogos de lençol para berço
· 2 lençóis de baixo avulsos
· 2 fronhas avulsas
· 3 jogos de lençol para carrinho
· 2 colchonetes para carrinho
· 1 colcha
· 1 cobertor
· 4 toalhas de banho com capuz
· 6 toalhas de fralda
· 6 fraldas de boca
· 6 fraldas de ombro
· 4 babadores para usar com as roupas
· 4 babadores para comida
Para quem vai ter babá
· 2 jogos de lençol para solteiro
· 1 cobertor
· 1 travesseiro
· 1 colcha
· 3 toalhas de banho
· 3 toalhas de rosto
· 1 edredon ou colcha decorativa (caso a babá vá dormir no quarto do bebê)
· Almofadas e rolinhos decorativos
Acessórios de viagem e passeio
· 1 carrinho
· 1 cadeirinha para carro do tipo moisés ou regulável
· 1 tapa-sol para carro
· 1 sacola de passeio c/ trocador
· 1 banheira inflável
· 1 berço desmontável (opcional)
Acessórios de higiene e saúde
Nécessaire do bebê

· Fraldas tamanho rn ou p
· Lenços umedecidos
· Creme contra assaduras
· Xampu neutro para bebês
· Sabonete líquido neutro para bebê
· Bastonetes de algodão
· Algodão bolinha
Kit higiene
· Pote para algodão
· Pote para bastonete
· Vasilha para despejar água morna
· Garrafa térmica
· Bandeja ou cesto para organizar
Kit manicure
· Tesoura
· Trim (cortador de unha)
· Lixa de unha
Para ter em casa
· 1 banheira com suporte
· 1 antiderrapante para banheira
· 1 termômetro
· 1 bolsa térmica para cólicas
· 1 vaporizador
· 1 inalador
· 1 kit de escova e pente
· Caixa para remédios
· 1 cesto de roupa suja para o bebê
Para a área de serviço
· 1 balde de uso exclusivo do bebê
· 1 bacia de uso exclusivo do bebê
· Amaciante dermatologicamente testado
· Sabão de coco líquido
· Sabão de coco em pó ou em barra
Acessórios de alimentação
Os acessórios a seguir são para as mães que vão voltar a trabalhar depois do 4º mês de idade do bebê, ou que precisam se afastar por um período mais longo de casa. Nesse caso, é preciso retirar o leite materno para que o bebê possa mamar na sua ausência. Se você estiver sempre por perto, essas compras só serão necessárias quando seu filho tiver seis meses de idade.
· 6 potes para guardar o leite materno
· 1 bomba tira-leite
· 2 mamadeiras ou 2 copos: 150 ml e 250 ml
· 1 esterilizador de mamadeiras
· 1 escova para lavar mamadeiras
· 1 pinça para mamadeiras esterilizadas
· 1 escorredor de mamadeiras
· 1 recipiente plástico com tampa para guardar mamadeiras esterilizadas
Se seu bebê tomar leite em pó acrescente
· 4 mamadeiras de 250 ml e 2 de 150 ml (ou copos)
· 1 mamadeira térmica ou bolsa térmica
· Porta-leite em pó para viagem
· Garrafa térmica para guardar água quente
· Chaleira de ágata para ferver a água
· Aquecedor de mamadeira para viagem
Para alimentação depois dos seis meses
· 2 colheres com ponta de silicone ou plástico
· 1 conjunto de talheres para viagem
· 1 conjunto de pratos – um menor e mais fundo, outro maior e mais raso
· 1 cadeirão
· 1 espremedor de laranja
· 1 funil
· 1 coador
· 1 conjunto de panelas de ágata – uma grande e outra pequena
· Potes plásticos com medida para guardar papinha. A partir de 150 ml
· 1 peneira com furos largos
Acessórios de segurança
· 1 babá eletrônica
· 1 luz noturna
· 1 kit de protetores de tomada
· Travas de gaveta
· Travas de porta de armário
· Antiderrapante de tapete
· Protetor para a porta não bater


Espero que ajude!



Muitas dessas coisas nunca tive nem com a Lívia, nem com o Lucca. Mas as mamadeiras - muitas mamadeiras e muitos bicos, vale a pena ter. Você nunca sabe se, na correria louca do dia a dia, vai dar tempo de lavar e ferver tudo na hora em que você precisa...

E paninhos de boca? Com o Lucca, tenho usado muuuuuuuuitos!!!!!!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Amamentar, sim!







Semana da Amamentação em Bauru

Por Elisa Vitachi / Cosmo Bauru



O Banco de Leite Humano de Bauru realiza de 02 a 07 de agosto as atividades da XV Semana Mundial de Amamentação, que vem sendo comemorada desde 1992. Para este ano, o tema escolhido foi os "25 Anos do Código Internacional de Comercialização dos Substitutos do Leite Materno". A solenidade de abertura será na quarta-feira, às 20h, no auditório do Senac, na Avenida Nações Unidas.


As Unidades de Saúde realizarão durante este período atividades de promoção ao aleitamento materno, em sala de espera e com grupos de gestantes. Confira a programação.


Mais informações pelo telefone (14) 3226 3227.


Programação:


Dia: 05/08/06

Plantão de Orientação sobre aleitamento materno e semana mundial

Coordenação: Alunos do Curso de Nutrição e Enfermagem da USC e Alunos de Enfermagem da Unip

Local: Supermercados do município

Horário: 09h às 16h

Público alvo: Comunidade



Dia: 07/08/06

Encerramento da Semana Comemoração dos 22 anos do Banco de Leite

Homenagem às doadoras do Banco

Exposição das Bonecas confeccionadas na Oficina de Costura dos dias 02, 03 e 04/08 Coordenação Senac e Banco de Leite Humano

Local: Senac

Horário: 14h



E mais uma atividade da área está programada para o mês de agosto:

Dia 12/08/06

Plantão de Orientação sobre aleitamento materno e semana mundial da amamentação

Coordenação: Equipe do Banco de Leite Humano

Local: Praça Rui Barbosa

Horário: 09h às 16h

Público alvo: Comunidade

Vale a pena conferir!

SEMANA MUNDIAL DE ALEITAMENTO MATERNO

de 01 a 07 de Agosto - Ainda em tempo!


Embora acredite que o incentivo à amamentação deva ser uma prática diária, eleger um dia especial ou, neste caso, uma Semana de Aleitamento Materno, é indício de que a sociedade está se organizando e abraçando a causa.



Sempre acreditei na importância do leite materno e da amamentação em si, não só para os bebês, mas também para nós mamães, e para a relação entre ambos. Mas amamentar o seu bebê nem sempre é tão fácil, natural e, eu diria, tão poético quanto parece.


Com a Lívia, tivemos um sério problema com isso; talvez pelo fato de ser mãe de primeira viagem, inexperiente, insegura... ou então, o que vim a descobrir mais tarde, já com o nascimento do Lucca, por pura falta de informação.



Acreditávamos, logo que ela nasceu, que tudo acontecia muito bem, uma vez que tinha o bico da mama bem formado, havia presença do colostro e a baixinha fazia "biquinho" para mamar. Que nada... Viemos a descobrir depois de 3 dias que ela nasceu e, a duras penas, que ela não estava sugando direito... Seguimos imediatamente para o pediatra (dois, na verdade!).



Ao mesmo tempo que a pega correta e a sucção foram incentivadas, não tivemos outra alternativa ao leite em pó e, até, à agua glicosada.


Depois de um mês, Lívia voltou a mamar em mim com exclusividade novamente! Foi uma luta. Não só minha e dela, mas de todos - do meu marido, das avós e avôs e da pediatra, que teve muita paciência comigo e com a minha pequena.


O Lucca não quis mamar logo que nasceu, o que me fez entrar em pânico! Tinha medo de ter que passar por tudo aquilo que passamos com a Lívia de novo! O pediatra, na ocasião, me acalmou dizendo que ele seria alimentado com a fórmula para bebês e seria observado pelas enfermeiras no berçário da maternidade. Mas só me tranquilizei quando ele mamou pela primeira vez, no dia seguinte.


Ele foi muito melhor assistido que a Lívia no quesito amamentação. Só com a chegada do segundo, pude perceber que, mesmo acreditando estar fazendo tudo certo, cometi muitos erros com ela.



O baixinho sempre mamou muito bem - claro que alguns momentos de estresse e ansiedade sempre existem!, mas no geral, ele sempre foi calmo, ganhou peso e dormiu bem a noite toda. Um grande aliado foi o Banco de Leite Humano de Bauru. As enfermeiras me ajudaram prontamente em momentos de incerteza e me ensinaram muito sobre as mamadas.



Entretanto, nunca descartei a possibilidade de complementar o aleitamento com o leite industrializado, e o fiz algumas vezes quando julguei necessário.



Hoje, Lucca está com 4 meses e meio e sinto que terei que aumentar cada vez mais esse complemento - o que não me deixa feliz, mas tampouco, culpada -, já que ele tem estado meio irritado e inquieto durante o dia, tem acordado mais vezes durante a madrugada e não quer pegar o seio com facilidade, só quando está adormecido...


Acho que o meu leite está secando... Vou começar a tomar duas fórmulas homeopáticas que o pediatra da Lívia me receitara na época. Vamos ver se dá certo - tomara que sim!!!!


Próximo passo - tirar o teté da Lívia e fazê-la tomar leite no copo igual a uma mocinha!




Para saber mais sobre aleitamento materno, visite: